24/03/16

Páscoa e as férias

Páscoa. E cá estão outras férias...
O que fazer?

A avó Fernanda decidiu fazer uma agenda com a neta Mónica para arranjarem sempre um bocadinho do dia em contacto com a Natureza.
Já chegava o resto dos outros dias, que ficavam sempre fechadas sempre de uma casa!

Assim, combinaram passeios de bicicleta, caminhadas e até um piquenique pois o tempo assim convidava.

Mas o importante é aproveitar bem o tempo e não estar sempre colado à televisão. Já viram como deixam que este aparelhinho comande a vossa vida?

Renasçam, reinventem-se! Não é esta a principal mensagem da data? 
 

21/03/16

Semear para colher

Os avós tinham decido explicar aos netos como a Natureza funcionava.
Assim, no Inverno arranjaram umas floreiras, colocaram terra e sementes e foram regando e esperando.

O tempo começou a melhorar e as zínias, chagas, crisântemos e petúnias apareceram. Pequeninas no início mas prontas para a vida, para nos tornar felizes.

Os netos adoraram e foi bom perceberem que é necessário semear para colher.

Boa Primavera!http://www.plantasporcorreio.com/WebRoot/Pins/Shops/PH1132107/4EAF/8BB0/DE75/7020/B736/0A0C/05E8/E201/bloemzaden_viola_s.jpg

20/03/16

Corrida colorida

A avó Olivia e o avô Miguel estavam no sofá, abraçados e a ver a chuva a correr lá fora.
E começaram a recordar.

Abriram o álbum de fotografias e lá estavam as fotos da corrida mais colorida que tinham feito em toda a vida.
Tinham desafiado as netas a entrarem na " Colour Run" e o entusiasmo e alegria foi total!

O participarem em família foi fantástico para criar laços, principalmente numa atividade física tão diferente e entusiasmante como esta.
E foi mesmo contagiante chegar ao final colorido por fora e por dentro. Estava-se vivo!

Sorriram, lembrando como é bom poder dar cor à vida.

19/03/16

Dia do Pai

Dia do Pai... Dar uma prenda ao avô era um quebra-cabeças!...

Então a mãe lembrou-se de fazer um cartaz com uma frase de H. Jackson Brown Jr.e foto deles dois.

Escusado será dizer que, quando entrou em casa, e viu a moldura pendurada na parede do corredor, o avô adorou.

As coisas vindas do coração são as melhores, não acha?








 

18/03/16

Ida até à praia

O avô Filipe foi buscar os netos à escola.

A Mariana entrou a correr mas o João entrou cabisbaixo. 
Abraçaram o avô e sentaram-se no banco traseiro.

O avô pôs o carro a andar mas não gostava do que via pelo espelho retrovisor.
A Mariana sempre a tagarelar e o João... triste, calado e olhar pela janela. 

O avô não sabia como contornar a situação e pôr o João a desabafar. Foi então que se lembrou de irem até à praia, passear no pontão e comer um gelado. Os netos estavam sempre prontos para um gelado!

E assim foi. Os netos adoraram, todos descontraíram e foi um belo fim de dia.

Quando voltaram ao carro, o João abraçou o avô com mais força e agradeceu. Baixinho, confidenciou ao avô que tinha tirado a primeira negativa da sua vida e que não sabia como dizer aos pais, para não os desiludir.
O avô disse que todos erravam e que, com ajuda, ele iria melhorar.

E o importante foi que o João chegou a casa e assumiu o que tinha acontecido na escola. Os pais compreenderam, a ajuda chegou e tudo melhorou.

Nada como uma ida à praia para desanuviar, certo?

 


 

17/03/16

Bruxismo

O avô Rui todos os dias acordava mal disposto: os músculos da cara doridos, dores no ouvido e nos dentes, dava estalos quando mexia a boca...
E a avó Diana sempre a queixar-se que ele levava a noite a ranger os dentes, fazendo um som que não a deixava dormir...

Decidiu ir à dentista. Afinal, era só... bruxismo. 
Talvez provocado pelo excesso de café e pelo facto de ainda não saber o que fazer, agora que estava reformado.  

Tirou o molde e mandou fazer o aparelho.

Passada uma semana, foi buscá-lo e, sem dizer nada à avó, pô-lo na boca para dormir.
A avó até se assustou! Mas, ao menos, nessa noite dormiu descansada.

E o avô deixou de ter dores e ficou mais tranquilo. Tudo tão simples!


16/03/16

15/03/16

Dia de aniversário!

Hoje a neta Maria fazia anos.
E a avó Raquel queria fazer-lhe uma surpresa. 

Então, lembrou-se de fazer uma base  de bolo de iogurte, rodear com bolachinhas de baunilha, rematar com um laço e acabar de enche-lo de "smarties".
Tudo coisas que a neta gostava.
 
O bolo ficou lindo e saboroso. O que acham?

 

14/03/16

Dietas mas com cuidado!

A avó Cristina andava a fazer dieta. E o avô António andava chateado pois agora só comia saladas e sopa!...

Mas a avó a começou a comer cada vez menos, chegando a passar o dia com um iogurte e uma maçã. O avô começou a ficar preocupado. Até porque a avó já não era mesma: tinha emagrecido, sim e até demais! Andava triste e desanimada.

"Fazer comida, para quê?", parecia ser a frase preferida dela e, realmente, até os filhos deixaram de vir lá a casa. Os filhos, os amigos, o isolamento começou a instalar-se...

Os mimos e atenção do avô já não resultavam. Então decidiu procurar a ajuda conjunta de profissionais na área da psiquiatria e psicologia, para os aconselharem sobre a melhor abordagem terapêutica o problema da avó. É que um problema de distúrbio alimentar, sorrateiramente, já se tinha instalado...
 

13/03/16

Um cego que via...

A avó Manuela ia a passear na rua, a aproveitar o calor do momento. E vindo do nada, da paragem de autocarro surge um idoso que lhe pede:
- A senhora ajuda-me a atravessar a rua, por favor? 

A avó até deu um salto! No início, hesitou, teve medo.
Mas o idoso ficou parado, a olhar para ela, expectante e ansioso por se mexer dali. E ela confiou, e dando-lhe o braço, começaram a caminhar.

Foi então que ele lhe contou que estava viúvo, morava longe dos filhos e nem ao domingo vinham ter com ele. Já quase que não via mas recusava-se a ficar em casa isolado, sem apanhar aquele solzinho. Recusava-se a ficar sozinho, a deixar a vida passar.
Queria continuar a fazer parte do Universo!

A avó foi ouvindo a estória, ficando cada vez mais feliz por não ter tido medo, por ter tido coragem de ajudar quem queria teimar. Devagarinho, atravessaram a rua e chegaram ao banco do jardim.

O idoso suspirou e sorriu feliz. E a avó também ficou com o coração cheio daquele sol.
Despediu-se pois tinha os netos e o marido à espera.  

Baixinho, pediu que o senhor não ficasse sozinho muito tempo. Então, pelo canto do olho, viu chegar uma criança com a mãe e sentarem-se no mesmo banco.
Sorrisos foram trocados e a empatia surgiu. 

E a avó pode seguir feliz, com o solzinho no coração.


12/03/16

Tomar conta dos netos: sim ou não?

A avó Zé queria tomar conta dos netos. O avô Zé queria ter tempo para os dois.

A avó argumentava que assim ajudavam os filhos e as crianças eram bem apoiadas. O avô defendia que as crianças também precisavam de outras crianças para serem felizes.

A avó dizia que assim mais útil e rejuvenescida. O avô contrapunha que assim ia ficar mais cansado e preocupado com a responsabilidade de educar uma criança.

E tudo eram prós e contras.  Até que decidiram arranjar uma solução de compromisso: as crianças ficariam com uma ama de manhã e passariam toda a tarde lá em casa.

O que interessa é arranjar um equilíbrio, não é verdade?

 

11/03/16

Leite de vaca, leite de soja, leite de arroz... ou nenhum?

A avó Manuela está baralhada...
Afinal o leite de vaca faz mal à saúde? Que tipo de leite podemos dar aos netos? O leite de vaca hoje é igual ao de antigamente?

É o problema de vários alimentos de hoje em dia: cheio de substâncias químicas para preservá-lo e gerá-lo, a dificuldade na sua digestão, intolerâncias aos seus nutrientes, neste caso, a lactose...  

Com tantos inconvenientes, a avó optou por... iogurtes e de soja! Saborosos, sem lactose, já fermentados e que facilitava a sua digestão.

E os lanches com os netos deixaram de ser um problema. Mas se quiser outras alternativas:

10/03/16

O silêncio é de ouro

O João chegou a casa dos avós. Vinha todo excitado da escola, a falar aos berros e não parava de saltar.

Nem a avó, nem o avô estavam a conseguir acalmá-lo. Foi então que a avó se lembrou do "Jogo do Silêncio", da Maria Montessori.  
Parecia ser uma boa solução para acalmar o neto e, a longo prazo, serviria para ensiná-lo a ter calma e concentração.

O jogo consiste em ficar em silêncio durante um minuto, sem fazer nenhum ruído, para que a criança possa prestar atenção ao próprio corpo e ao ambiente em redor. Fechando os olhos ou não, as crianças adoram.

video

O avô também entrou na brincadeira enquanto a avó cronometrava. E juntos descobriram o poder do silêncio.
No final, até houve abraço de grupo.

E foram todos lanchar.


09/03/16

Depois do Dia da Mulher

A avó Cristina estava sentada no jardim.
O dia estava agradável e com um solzinho quase de Primavera.

A avó fitava a praça. Na porta do Mercado da Cultura estava uma faixa a recordar o "Dia da Mulher". E ela pensou:
"Como a vida mudou!... Dantes, eu dependia completamente do meu marido. Se queria comprar um par novo de collants tinha que mostrar os antigos, para provar que já estavam rotos!  Era uma vida dura e sempre submetida à sua vontade..." 

A filha tinha estudado e era independente do marido. Mas trabalhava que se matava. Carreira, marido, filhos... Sempre a correr, sem tempo para si.

Onde estava o equilíbrio? Aí sim, estava a felicidade.

Dia da Mulher. Para quando afinal?

08/03/16

Vitimização

O avô Mané esteve doente. A broncopneumonia ia dando cabo dele.
E, mesmo depois de ficar bom, ele decidiu ficar sempre... doente.

Está constantemente agressivo, mal disposto e só liberta energia negativa. A culpa é do governo, que não lhe dá maior reforma. Também é da mulher, que não lhe dá atenção... A isto chama-se vitimização
E afasta tudo e todos. Quem quer estar ao pé de toxicidade?

Por muito mal que a vida nos trate, está na nossa mão ver "ou copo meio vazio, ou copo meio cheio".
E não ficar na "mó de baixo" demasiado tempo pois os falhanços e carências são formas de aprendizagem, não formas de vida.

Mas é mais fácil culpar a vida do que mudá-la, não é verdade?

07/03/16

Playlists

A avó Adriana chegou a casa. 21H e sem jantar.

Cansada de trabalhar. Pois, nem todos os avós estão reformados!... Alguns ainda têm negócios para levar para a frente, por que lutar.

A "Gata Borralheira" veio ter com ela, assim que abriu a porta. Miou e roçou-se nas pernas dela, a saudá-la.
A avó faz-lhe uma festa e senta-se no sofá. A nostalgia começa a invadi-la mas a vida fora da sua janela não a deixa ir nessa viagem. Força-a a pegar no seu tablet, a ligar a sua coluna portátil e a colocar a sua playlist preferida.

A música invade-a e as recordações surgem e o ânimo volta a relaxar. Um sorriso abre-lhe o rosto, a "Gata Borralheira" dá-lhe uma lambidela no nariz.
É tempo de descontrair, deixar as preocupações lá fora e elevar o espírito. E a paz vem...

Pegue no "Youtube", no "Spotify" ou sintonize a "Smooth FM" e deixe a vida tomar conta de si. 
Há momentos no dia assim, acredite! Só temos que os deixar entrar...



06/03/16

Inspiração

A avó Rita estava a fazer um bolo para o lanche e, por acaso, tinha a televisão ligada.
Foi quando viu esta reportagem, de um "menino" da idade dela que, em vez de se dar abater pelas agruras da vida, anda a distribuir alegria a tantos outros:

video

Coincidência?... Ainda bem que viu a peça pois andava a sentir-se desmotivada, pouco útil...
Percebeu que tinha que descobrir o seu talento e levá-lo aos outros. Há melhor forma de arribar na vida?
 

05/03/16

Sábado molhado

Sábado, 9H30...
O avô Isidro, a avó Jacinta e a neta Isabel entravam nas piscinas para mais uma aula.

Os avós iam fazer hidroginástica e a neta ia aprender a nadar. Todos os sábados, fizesse chuva ou fizesse sol, tinham assumido este compromisso!

A mãe Isabel e o pai Francisco estavam a trabalhar. E os avós até precisavam de perder aquela barriguinha!...
Então, juntou-se o útil ao agradável pois, para além de desanuviarem e ficarem muito melhor das articulações, permitiam que a neta aprendesse coisas novas, ficando mais feliz e apta para a vida.

Tudo era partilhado: a avó ajudava-a a tomar banho enquanto o avô se arranjava no balneário. E, a seguir trocavam, indo a avó cuidar-se enquanto o avô secava o cabelo à neta.
As conversas e os risos eram uma constante, até porque todas as semanas confidenciavam, presenciavam e tinham orgulho dos feitos e evolução uns dos outros. 

Está à espera do quê? Sábado, 9H30, numa piscina perto de si!